Entusiastas da leitura

Os escritores Tiago Henrique, Rafaela Marchezini e Izelda Carvalho lançam suas novas obras e, de maneira independente e muito sincera, buscam expressar seus sentimentos e incentivar a leitura, pois consideram o livro parte de uma rede que mantém viva a c

Criado em 06 de Abril de 2016 Cultura
A- A A+

Viviane Rocha

ELES ENCARAM O LIVRO COMO OBJETO DE DEVOÇÃO, não só porque ele serve de suporte para a externalização de seus pensamentos, mas, sobretudo, porque é um instrumento poderoso de transmissão de conhecimento e cultura, mesmo num país de poucos leitores como o Brasil. Tiago Rezende Fonseca, Rafaela Marchezini e Izelda Carvalho exercem outras profissões, mas, paralelamente a elas, já há um tempo, aventuram-se pela literatura, nutrindo, assim, a paixão por esse ofício mágico, que se mantém vivo gra­ças a obras como as que eles nos apresentam aqui. Acompanhe!

 

Tiago Fonseca

ARTE CONSCIENTE

Tiago Henrique Rezende Fonseca tem 29 anos e, desde os 12, escreve incessantemen­te, embora a leitura já tenha sido vista por ele como uma obrigação. “No período escolar, só lia o que era considerado obrigatório”, confessa. Mas, mesmo de forma inconsciente, ele já es­tabelecia ali uma forte parceria com a literatura. Ele conta que alguns dos grandes modelos que lhe serviram como fonte de inspiração foram o cantor e compositor Renato Russo – líder da banda Legião Urbana – e a mãe, Terezinha, que é professora. Seus autores prediletos são Mário Quintana, Fernando Pessoa e Paulo Leminski.

No início da carreira de escritor, Tiago re­latava observações do cotidiano. A partir dos 18 anos, o olhar do jovem se tornou mais po­litizado, e ele passou a expressar seu modo de refletir a sociedade. Antes da estreia oficial na literatura, Tiago registrava todas as suas inspi­rações em cadernos. “Comecei escrevendo pe­quenas canções e poesias, mas, sinceramente, não tinha pretensões literárias”, admite Tiago. Todavia, não demorou muito para ele descobrir que a escrita era um poderoso instrumento de transmissão de mensagens de cidadania, har­monia e união.

As obras do escritor estão disponíveis para leitura nas bibliotecas das escolas de Betim e também na biblioteca pública. Tiago diz que sua missão é levantar a bandeira da leitura. "Sou um grande entusiasta e incentivador da leitura desde sempre". “Estamos aqui para provocar a sociedade com diferentes olha­res”, salienta. Para ele, a literatura é uma arte que sempre oferece algo surpreendente ao leitor. “A leitura transforma e, por isso, deve ser acessível”.

Tiago já escreveu dez livros, sendo que cin­co deles foram publicados por meio de recur­sos obtidos nas leis de incentivo cultural de Betim. O primeiro desses cinco, “Pensamen­tos e Poesias”, foi lançado em 2010. “Queria fazer uma comemoração dos meus primeiros dez anos de carreira”, conta. Ainda em 2010, ele, que é bacharel em letras, também publi­cou um livro em Portugal, o "Surpresa dos Mares", No ano seguinte, ele lançou o "Bu­quê Subulata". Tiago tem uma obra destinada ao público infantil, a “Turma do Bambino”, de 2013, e, no ano passado, ele lançou o livro “Cartas para a Humanidade”, que será relan­çado neste ano.

ONDE ENCONTRAR

Para acompanhar as obras de Tiago, acesse www.thvirtual.com. Seus livros estão disponíveis para leitura nas bibliotecas das escolas de Betim e à venda na livraria Livrão, no centro da cidade.

 

RAFAELA MARCHEZINI

REMÉDIO PARA AS EMOÇÕES

Durante um momento de turbulência emocional, a escrita, que já era um hábito, tornou-se remédio. Foi assim que a jor­nalista Rafaela Marchezini, 33 anos, resgatou sua saúde emocio­nal depois de ter enfrentado um quadro de depressão. “Sempre gostei de escrever, mas, antes, o que eu escrevia ficava solto”, revela. Mas isso mudou quando a espiritualidade a conduziu para a escrita mais organizada, permitindo-lhe compreender a Bíblia Sagrada. “Sou adepta da leitura devocional, e, escrevendo, bus­cava o entendimento de um livro muito complexo”, explica.

No início, as leituras bíblicas inspiravam textos que eram com­partilhados por e-mail, para uma lista com mais de 500 ende­reços. “As pessoas começaram a acompanhar, e uma amiga me incentivou a criar um blog”, conta. Além disso, a grande quanti­dade de mensagens já estava sendo reconhecida por alguns ser­vidores de internet e de e-mail como spam, o que prejudicou o acesso dos leitores ao conteúdo enviado por Rafaela. Assim, em 2009, ela criou o blog “Palavra Inspiradora”.

Adepta dos diários desde a adolescência, Rafaela passou a ter um online e disponível para outras pessoas. “Sempre tive o há­bito de escrever diariamente por um longo período, e o blog foi um passo importantíssimo”, relata a jornalista. O blog consegue transmitir a espiritualidade da autora, que transforma sua expe­riência com a depressão e o repertório adquirido com a leitura da Bíblia em mensagens de conforto para todas as pessoas, espe­cialmente as que estão passando por momentos difíceis.

Ao completar um ano de escrita ininterrupta em seu blog, Rafaela decidiu dar um passo à frente e começou a executar a ideia de publi­car seus textos em um livro físico, já que a literatura sempre foi uma paixão. “Não há experiência mais gratificante do que tocar um livro e sentir seu cheiro”, comenta. Com todo o material em mãos, ela resolveu inscrever-se na lei de incentivo à cultura da cidade, mas, in­felizmente, o projeto não foi aprovado. Diante da negativa, ela partiu para a produção independente. “Reuni as primeiras 365 mensagens publicadas no blog em um livro, que foi batizado de ‘Palavra Ins­piradora’”. A empreitada fez bastante sucesso, tanto que, em 2014, surgiu o livro “Palavra Inspiradora Volume II”, com mais 365 textos. Ambas as obras estão disponíveis na internet.

Com um grande público virtual – além do blog, a jornalista possui uma fan page –, Rafaela pôde sentir o retorno dos leitores de maneira imediata. “Fico lisonjeada com essa receptividade do público. Saber que meus livros chegaram a várias pessoas por indicação de outras é o meu principal incentivo”, orgulha-se a jornalista, que considera a leitura e a escrita dois poderosos an­tidepressivos. “O livro é um remédio para a saúde intelectual, espiritual e mental”, salienta.

A paixão pelo ofício é tamanha que a escritora alimenta o sonho de viver exclusivamente de sua arte. Enquanto isso não acontece, ela vai dando passos menores, mas igualmente impor­tantes para a sua carreira. “Um dos meus próximos objetivos é fazer algo para as crianças”, revela. No fim do ano passado, Rafa­ela publicou “Poesia e Ficção”.

SERVIÇO

Os livros de Rafaela podem ser encontrados diretamente com a própria autora através do e-mail palavrainspiradora@yahoo.com.br. Você pode também visitar o blog http://palavrainspiradora.blogspot.com.br/

 

Izelda Carvalho

PREDESTINAÇÃO DE CORPO E ALMA

Também jornalista, Izelda Carvalho, 70 anos, diz ter her­dado o gosto pela leitura e pela escrita de seus pais. A escri­tora não nasceu em Betim, mas por aqui trabalhou durante muitos anos, como servidora da Prefeitura de Betim. Depois que se aposentou, em 2012, Izelda pôde se dedicar mais à escrita literária.

Antes disso, imbuída do sonho de publicar um livro, a jornalista não hesitou em investir nesse projeto. Motivada por um grande professor, Anísio Leão, ela decidiu mostrar ao mundo sua arte. “Uma frase que ouvi desse professor foi: ‘Quem não se anuncia se esconde’. É uma verdade incontes­tável”, diz Izelda.

Em 2008, convicta de que o momento certo de investir na realização de seu grande sonho já havia chegado, Izelda reuniu os recursos necessários e acionou contatos que a aju­daram a publicar o livro “Paisagem Rural”. Foram 500 exem­plares impressos, sendo que alguns deles estão disponíveis na Coleção Mineiriana da Biblioteca Pública Luiz de Bessa, em Belo Horizonte.

Outra obra sua, “O Tempo Não Espera Ninguém”, rendeu­-lhe o gracioso apelido de “a poetiza do sertão”. O nome foi atribuído pela imprensa de Diamantina, – na região Central de Minas Gerais – que considerou de grande repercussão o livro que homenageia a ligação do povo mineiro, em especial a fa­mília da escritora, oriunda de Rodeador, distrito de Monjolos, próximo a Curvelo, com o campo. “Fui criada por gente ser­taneja simples, que sabia transmitir o valor da educação e da saúde. Tenho a alma cravejada de boas lembranças”, destaca. E, quando a escritora precisa de sossego e inspiração, imedia­tamente planeja uma viagem para o interior, onde encontra paz e um ambiente perfeito para colocar suas ideias no papel.

Mais recentemente, Izelda decidiu se aventurar pela escri­ta infantojuvenil. E começou o ano de 2016 com o pé direito. Isso porque, ainda no primeiro semestre, lança seu primeiro livro infantil, sob o título “O Menino dos Dentes Coloridos”. O projeto seguinte, “Aventura na Serra do Cipó”, será voltado para os adolescentes. De acordo com a escritora, esse deverá ser colocado à disposição do público também neste ano.

Izelda nutre grande admiração pelos escritores latino­-americanos, como García Marquez, seu preferido, e García Lorca. Dentre os brasileiros, alguns dos favoritos são Castro Alves e Fernando Sabino, sendo que Sabino foi amigo pesso­al da jornalista, que já morou na Venezuela e na Inglaterra. Ela diz que a experiência no exterior lhe permite lamentar a falta de valor que os livros têm no Brasil. “Infelizmente, é um produto desprezado por aqui. Espanta-me o interesse da população mais pelo Oscar do que pelo Nobel de Lite­ratura”, reforça. Apesar disso, Izelda, comparando o livro a uma semente, acredita que vale a pena cultivá-la, escrevendo sempre para as pessoas.

ONDE ENCONTRAR

Para adquirir algum dos livros de Izelda, faça contato pelo e-mail izeldacarvalho@yahoo.com.br.




AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de Revista Mais. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Revista Mais poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.