Estética: Mitos e verdade

POR Dra. Adriana Lemos (CRM–32011)*

0
Criado em 24 de Março de 2014 Cuidar
A- A A+
Homens e mulheres, muitas vezes, acreditam, falam ou fazem certas coisas para melhorar a estética corporal sem nem ao menos saberem a razão, mas porque elas lhes foram ensinadas como “verdades” repassadas de geração em geração. Porém, na realidade, grande parte delas é mito. A seguir, saiba o que dessas crenças populares é verdade e o que não é.
 
Banho demais resseca a pele.
Verdade. A água fria ou morna não faz mal à pele, mas o uso excessivo de sabonetes pode retirar a camada de oleosidade que mantém a sua integridade, causando o seu ressecamento.
 
Banhos quentes aumentam a oleosidade da pele.
Verdade. Em pessoas com pele oleosa, a água quente pode estimular a secreção de mais oleosidade. Os banhos devem ser com água morna, em torno de 22°C, com pouco sabonete.
 
Devemos aparar as pontas dos cabelos para eles ganharem força.
Mito. A crença vem da correlação com a poda das plantas. A diferença é que os galhos das plantas crescem pelas pontas, que são vivas. Já os fios de cabelos crescem pela raiz, e suas pontas são mortas. O corte não vai interferir no seu crescimento, independentemente, também, da fase da lua.
 
O uso frequente de tintura faz cair os cabelos.
Mito. O uso da tintura afeta apenas a haste do fio, causando a perda do brilho e da resistência, mas não interfere na sua raiz, responsável pelo seu crescimento. O que pode ocorrer é uma agressão tão grande a ponto de o fio se romper.
 
Depois do parto, os cabelos caem por causa da anestesia.
Mito. O próprio parto causa mudanças hormonais que provocam uma queda intensa dos cabelos após dois a quatro meses. Chama-se eflúvio telógen, e eles voltarão a crescer, normalmente, depois de algum tempo.
 
Calvície tem tratamento.
Verdade. Já existem tratamentos com resultados satisfatórios para interromper a redução dos cabelos e, até mesmo, estimular seu crescimento.
 
As estrias podem ser melhoradas.
Verdade. As estrias são cicatrizes, mas os tratamentos disponíveis conseguem melhorar o aspecto delas, tornando-as mais semelhantes ao tecido sadio ao redor e menos perceptíveis. O método que tem obtido maior resultado é o laser de CO2 Fracionado.
 
Usar óleo de amêndoas para hidratar a pele evita as estrias da gravidez.
Mito. As estrias ocorrem em pessoas que já têm tendência a elas. De qualquer forma, recomenda-se a hidratação profunda da pele para ajudar a evitá-las ou surgirem com menor intensidade, mas não há garantias de que elas não vão aparecer.
 
Lixar as unhas em vez de cortá-las faz com que elas fiquem mais fortes ou cresçam mais rápido.
Mito. Cortar ou lixar não influencia em nada o crescimento ou a resistência das unhas, já que isso não interfere na sua matriz, que é a responsável por sua formação.
 
A alimentação influencia no surgimento das espinhas (acne).
Verdade. Apesar de não serem a causa das espinhas, estudos recentes comprovaram que alimentos como chocolate, leite e derivados, amendoins e dietas de alto teor glicídico (açúcares) podem piorar a acne.
 
O sol melhora as espinhas.
Mito. Apesar de ocorrer uma aparente melhora devido ao bronzeamento e ao ressecamento de algumas lesões, a exposição ao sol acabará provocando uma piora, após alguns dias, devido ao aumento da produção de oleosidade e da espessura da epiderme (camada mais superficial da pele), o que contribui para a obstrução dos poros.
 
Raspar os pelos com frequência faz aumentá-los ou engrossá-los.
Mito. Raspar a barba todo dia não vai estimular o crescimento de novos pelos nem engrossar os que já existem, pois isso não afeta a sua raiz, responsável pelo seu desenvolvimento. Nada que se faça com a haste do pelo muda a sua característica. A impressão de que o pelo engrossa deve-se ao fato de que ele foi cortado no meio da haste, onde é mais grosso que na ponta do fio.
 
Depilação com cera provoca flacidez na pele.
Mito. A retirada dos pelos por depilação não interfere nas fibras colágenas e elásticas da pele e, portanto, não provoca a flacidez. Pode
ocasionar, sim, o escurecimento da pele.
 
Depilação com roll-on ou cera quente causa varizes.
Mito. As varizes são formadas devido a uma alteração das veias das pernas, e a depilação não interfere nesse processo.
 
Quanto mais se depila com cera, menos pelos crescem.
Mito. A retirada dos pelos por depilação com cera não impede o seu crescimento. Isso só aconteceria se, durante a depilação, o bulbo piloso, que forma o pelo, fosse destruído, o que ocorre na depilação a laser.
 
A pele negra envelhece mais devagar.
Verdade. Como o principal responsável pelo envelhecimento da pele é o sol e a pele negra é mais resistente a ele, ela demora mais para envelhecer.
 
A luz da tela de computadores e a “luz fria” de escritórios causam o envelhecimento da pele.
Mito. A quantidade de radiação ultravioleta emitida pela tela dos computadores e pela luz fria é muito pequena e insuficiente para causar
danos à pele.
 
Usar hidratantes após o sol evita o envelhecimento da pele.
Mito. A hidratação não vai evitar o envelhecimento da pele, combaterá apenas o seu ressecamento.
 
Proteger a pele do sol no dia a dia pode retardar o surgimento das rugas.
Verdade. A principal causa do envelhecimento da pele é a sua exposição aos raios ultravioletas do sol (fotoenvelhecimento), e o uso frequente de proteção solar retarda o envelhecimento cutâneo.
 
*Membro da Academia Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia e diretora administrativa
da Clínica Yaga Laser & Cosmiatria – adriana@yaga.com.br.



AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião de Revista Mais. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Revista Mais poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.